Realize seu sonho Sem categoria

Como financiar sua casa própria e sair do aluguel

FONTE: A+ A-

06 mar 2020 0 Comentários

O desejo de saber como financiar sua própria casa e sair do aluguel vem cercado de dúvidas e inseguranças sobre pagamentos, mudanças na economia do país, juros de financiamento, entre outras. Se esse objetivo parece distante para você, nós temos uma boa notícia: com o planejamento certo, é possível chegar lá!

De certa forma, isso é natural e muito saudável, afinal de contas, um financiamento imobiliário envolve alguns meses ou anos de comprometimento financeiro e redobrar a atenção na hora de sua contratação ajuda a fazer escolhas melhores, não é mesmo?

Por isso, planejar é tão importante. As atitudes que você precisa tomar começam bem antes de assinar um contrato de financiamento. Dá uma olhada nessa listamos de 07 passos que criamos para você que deseja sair do aluguel. 

Dicas de como financiar sua casa própria

Para te ajudar preparamos este passo a passo para simplificar o processo de compra e de como financiar sua casa própria. 

1. Organize suas finanças

Comprar um imóvel requer planejamento. Por isso, a primeira etapa para alcançar esse objetivo é colocar as contas em dia e se organizar do ponto de vista financeiro: eliminar gastos excessivos e tentar fazer economias diárias.

Busque alternativas mais econômicas para sua rotina, como, por exemplo, substituir a ida ao trabalho de carro pelo metrô ou ônibus. Levar o almoço de casa também ajuda a reduzir gastos com restaurantes.

Assim, se você não tiver dinheiro para comprar o imóvel à vista, terá uma boa quantia para dar de entrada e pode acabar conseguindo um excelente negócio, diminuindo o valor das parcelas do seu financiamento. Vale a pena ficar atento!

Com os valores poupados, procure uma aplicação com bom desempenho de ganhos, mas sem prazos longos e restritos para seu resgate, que é o que determina a liquidez de um investimento.

Você também pode segmentar seus investimentos, colocando uma parte em aplicações com resgate imediato e outro montante naquelas que rendem mais, mesmo que tenham uma liquidez menor.

Mas atenção: não analise apenas os rendimentos. Leve em conta também as regras para resgate. Quando o resgate é feito muito cedo, pode haver cobrança antecipada do Imposto de Renda em alíquotas mais altas.

2. Faça um bom planejamento pessoal e financeiro

Da mesma forma que economizar e guardar dinheiro é importante, também é fundamental planejar como os valores serão aplicados e outras despesas que aparecem paralelamente, quitadas .

É o caso dos noivos que, além de comprar um imóvel, também sonham com uma festa de casamento e lua de mel. Se tudo for planejado com cuidado, o casal pode determinar quanto precisa poupar em cada mês, negociar com fornecedores com mais antecedência e garantir descontos.

Esse cuidado com as finanças também vale para a vida pessoal. A chegada dos filhos, um pedido de demissão em um emprego ou qualquer outra mudança na logística da família também precisa de um bom planejamento.

3. Considere gastos extras para sair do aluguel

Visitar imóveis vai fazer seu coração bater mais forte para sair do aluguel o quanto antes, mas, para não se precipitar, primeiramente considere os gastos extras com os quais você vai precisar arcar nesse processo.

Além dos custos com cartório , que vão fazer parte da transação de compra, também é preciso colocar na conta as despesas com pequenos reparos que serão necessários antes de entregar o imóvel alugado, como pintura das paredes, manutenção de redes de proteção e outros detalhes previstos no contrato de aluguel.

Despesas com empresas de mudanças, instalação de armários novos, fiação elétrica, entre outras, também devem ser mapeadas para uma transição segura e sem surpresas ruins. E isso vale tanto para imóveis novos quanto usados.

4. Pesquise e avalie oportunidades

É muito importante fazer uma boa pesquisa antes de comprar o seu imóvel depois que você já sabe como financiar sua casa própria. Uma boa dica é ficar sempre atento às oportunidades que surgem de repente. Nesse caso, é importante que você tenha economizado e possua uma boa reserva financeira, pois ela te ajudará muito na hora de sair do aluguel.

Além disso, como se trata da realização de um sonho, muitas vezes as pessoas acabam buscando por imóveis que estão um nível acima do seu poder aquisitivo. Quando isso acontecer, é o momento de colocar o pé no chão e se questionar se você realmente precisa de um imóvel com tantos quartos, com piscina e um condomínio luxuoso. Muitas vezes, é isso que acaba te afastando do seu sonho. 

É comum encontrarmos propagandas que prometem a compra de um imóvel com condições de pagamento irresistíveis. Isso pode parecer muito tentador para quem está buscando um imóvel. Mas, é preciso ter cuidado na hora de comparar e avaliar os benefícios do imóvel a ser comprado e não cair em “papo de vendedor”.

5. Escolha o imóvel ideal

Esse é um dos momentos mais delicados: analise tudo na casa que você pretende comprar. Pense no tamanho da família, nas necessidades básicas, na localização e no lazer — escolha bem o seu lar para os próximos anos! Fatores como localização, segurança, estrutura do imóvel e documentação devem ser analisados com muito rigor para que você não se arrependa ou tenha dor de cabeça depois.

Comece a procurar seu imóvel, mas, primeiramente, faça uma lista das características e benefícios que gostaria de encontrar. Assim fica mais fácil comparar duas opções e avaliar se o preço de venda está compatível com os diferenciais que a casa apresenta.

Também é importante ter uma visão investidora na hora de avaliar os imóveis, considerando o potencial de valorização. Bairros em crescimento organizado, com vista definitiva para algum ponto turístico, com bons índices de segurança ou que tenham atrativos tendem a valorizar com o tempo.

6. Defina a forma de pagamento

A escolha da forma de pagamento do imóvel é o ponto alto da estratégia. Garantir um bom contrato de financiamento resulta em melhores taxas de juros, condições de pagamento facilitadas e outros benefícios. Existem diferentes formas de cobranças de juros, condições para antecipação de parcelas e seguros, obrigatórios ou não, que podem ser negociados nesse processo.

Contudo, é preciso que você encontre aquele que seja adequado às suas condições e aquilo que você procura. Vale a pena conhecer um pouco de cada um, ponderar os ônus e bônus e, após isso, escolher o que mais se adequa à seu bolso. Uma outra boa ideia é conversar com um corretor de imóveis especializado. Como ele atua no mercado, consegue dar direcionamento sobre as melhores opções de financiamento.

7. Se preparar para um novo início

Agora com tudo pronto e você já sabe como financiar sua casa própria é partir para o abraço! Arrume seus pertences, objetos e aparelhos que estão na casa em que você mora de aluguel e mude para sua nova casa. Mas faça tudo no seu tempo – não precisa de pressa – a documentação já estará sendo providenciada. 

A Realiza disponibiliza consultores online especializados para te orientar e esclarecer suas dúvidas. Para saber mais, basta acessar clicar no botão:

COMPARTILHAR:
Loading